Mycobacterium spp > Atlas > Microbiologia da Água

  • Cultura de Mycobacterium tuberculosis.

    Cultura de Mycobacterium tuberculosis.

  • Microscopia óptica de Mycobacterium avium após coloração de Ziehl-Nielsen.

    Microscopia óptica de Mycobacterium avium após coloração de Ziehl-Nielsen.

  • Microscopia eletrônica de varredura de Mycobacterium tuberculosis.

    Microscopia eletrônica de varredura de Mycobacterium tuberculosis.

Clique nas imagens para ampliar

Morfologia

  • As micobactérias são Bacilos Álcool Ácido Resistentes (BAAR), pois ao contrário das bactérias de outros gêneros sua parede permanece corada em rosa pela fucsina após o tratamento da lâmina com uma solução de 3% de HCl em etanol.
  • São bacilos muito finos, de tamanho variável.
  • São bactérias imóveis, não apresentando flagelos.
  • As células de algumas espécies podem se unir formando agregados longos como se fossem cordas (de sisal nas quais os fios se encontram um ao lado do outro).
  • As paredes celulares são muito complexas em termos químicos, com forte caráter hidrofóbico, apresentando ácidos micólicos em sua superfície.

Fisiologia

  • As micobactérias são aeróbias.
  • São consideradas facultativamente intracelulares, pois resistem à morte no interior dos fagócitos do sistema imunológico.
  • Estas bactérias toleram baixas tensões de oxigênio no interior das células do sistema imunológico e de amebas de vida livre no solo e na água.
  • São separadas em dois grupos~em termos fisiológicos: as micobactérias de crescimento rápido e as micobactérias de crescimento lento em cultura.
  • Apresentam versatilidade nutricional e metabólica.
  • Podem tolerar a acidez.

Ecologia

  • O Mycobacterium tuberculosis e o Mycobacterium leprae são patógenos exclusivamente humanos.
  • As micobactérias não tuberculosas (MNT) são bactérias comuns em vários ambientes, sendo encontradas em solos, fezes de animais, no ambiente aquático natural de águas doces, águas marinhas e em sedimentos.
  • As micobactérias não tuberculosas (MNT) apresentam maior persistência no ambiente aquático.

Taxonomia

  • As micobactérias pertencem à família Mycobacteriaceae.
  • O gênero Mycobacterium apresenta mais de 170 espécies.
  • As espécies podem ser classificadas em três grupos :
  • O complexo Mycobacterium tuberculosis (CMTB), principal agente causador da tuberculose humana, que inclui o M. bovis, M.  bovis-BCG, M. africanum, M. microti, M. caprae, M. canettii, M. pinnipedii.
  • O Mycobacterium leprae é o agente causador da hanseníase.
  • E o grupo das micobactérias não tuberculosas (MNT) ou micobactérias atípicas que inclui todas as outras espécies.

Doenças em Humanos

• As duas doenças de maior incidência nas populações humanas são a tuberculose causada pelo Mycobacterium tuberculosis e a hanseníase (conhecida na antiguidade como lepra) que é causada pelo Mycobacterium leprae.
• As MNT apresentam um grande número de espécies saprófitas (que degradam matéria orgânica no solo e em ambientes aquáticos) que podem causar infecções pulmonares, abscessos e granulomas e são as de maior relevância para a transmissão pela água doce ou salina.
• As MNT provocaram um surto de norte a sul do Brasil envolvendo mais de 2.500 pacientes submetidos a cirurgias plásticas e cirurgias por vídeolaparoscopia. A linhagem de MNT isolada provou ser altamente resistente ao glutaraldeído empregado na desinfecção de alto nível de alguns dos artigos médicos.
• A úlcera de Buruli é causada pelo Mycobacterium ulcerans e já foi relatada em mais de 30 países, sendo endêmica na Austrália e em vários países africanos. A infecção pode levar à vasta destruição dos tecidos infectados. Casos desta doença já foram relatados no Brasil.
• O Mycobacterium marinum gera granulomas focais ou sequenciais na pele de indivíduos que trabalham com piscicultura.
• Todas as infecções por micobactérias (micobacterioses) são de difícil erradicação, exigindo tratamento prolongado e adesão ao tratamento por parte do indivíduo infectado.

Prevenção

• Vacinação humana e de animais de criação.
• Evitar o contato próximo com animais infectados, inclusive humanos, sem a proteção adequada.
• Evitar a presença de animais infectados próximo a mananciais.
• Tratar os indivíduos infectados.
• Usar luvas grossas de borracha ao manusear peixes em tanques de
piscicultura.
• Evitar pontos de estagnação na rede hidráulica e na rede de distribuição de água para consumo humano.

Presença em água para consumo humano

  • As micobactérias não tuberculosas (MNT) podem ser detectadas em números elevados em mananciais superficiais, sendo menos numerosas em poços e em águas subterrâneas.
  • As MNT são comuns em água não potável que é usada concomitantemente por animais selvagens ou domésticos, como comumente ocorre em lagos e barragens localizados em áreas
    rurais.
  • Podem ser encontradas nos sistemas de distribuição de água potável, nos sistemas municipais e domésticos de fornecimento de água para consumo, em tubulações de água de vários tipos, na presença de cloro residual adequado e na ausência de coliformes.
  • Podem ser detectadas em até 100% das amostras de água dos sistemas de distribuição por métodos moleculares evidenciando sua ubiquidade ambiental e sua resistência aos métodos convencionais de tratamento da água para consumo humano.
  • É capaz de proliferar nos sistemas de distribuição atingindo números consideráveis, podendo viver sob a forma livre ou em biofilmes.
  • São encontradas em aerossóis de piscinas aquecidas para fisioterapia hospitalar apesar do uso de UV e peróxido de hidrogênio para a desinfecção da água.

COMPARTILHAR