• Escherichia coli cultivada em membrana filtrante em meio M-FC .

    Escherichia coli cultivada em membrana filtrante em meio M-FC .

  • Microscopia óptica de células de Escherichia coli após coloração de Gram.

    Microscopia óptica de células de Escherichia coli após coloração de Gram.

  • Biofilme de Escherichia coli em microscopia eletrônica de varredura.

    Biofilme de Escherichia coli em microscopia eletrônica de varredura.

Clique nas imagens para ampliar

Morfologia

  • As células de E. coli apresentam são bacilos com as extremidades arredondas (Figura 03), mas podem alterar sua morfologia sob diferentes condições ambientais.
  • Como os demais coliformes são bactérias Gram-negativas (Figura 02).
  • As linhagens de E. coli são geralmente móveis pela presença de flagelos peritríquios presentes em toda a periferia celular. (Figura 03)
  • Podem apresentar dezenas de tipos diferentes de fímbrias (curtos pelos de adesão) que aderem especificamente a determinados receptores.
  • Algumas linhagens apresentam cápsula ou uma camada limosa em torno das células importantes na formação de biofilmes.

Fisiologia

  • A E. coli é uma bactéria anaeróbia facultativa, vivendo tanto na presença quanto na ausência de oxigênio, fermentando carboidratos como a lactose com a produção de ácido e de gás, sendo esta a base de alguns métodos para sua detecção em água e em alimentos.
  • Prolifera melhor em temperaturas em torno de 36ºC (mesófila), mas é classificada como um coliforme termotolerante, pois consegue proliferar em cultura em temperaturas de 45ºC que é comum no intestino de animais de sangue quente.
  • É uma bactéria neutrofílica, proliferando melhor em pH próximo à neutralidade, mas sobrevive em solo, na água e em alimentos ácidos por ser capaz de gerar compostos básicos a partir da degradação de aminoácidos.

Ecologia

  • As linhagens de E. coli colonizam o intestino do homem e de vários animais vertebrados e invertebrados.
  • Estas bactérias são liberadas nas fezes contaminando o solo, a água e, consequentemente, as plantas, os animais e os seres humanos que ocupam a mesma área ou mesmo áreas relativamente distantes.
  • Podem se deslocarem na camada de água ou serem carregadas em enxurradas ou migrarem no perfil do solo juntamente com a água de infiltração.

Taxonomia

  • A Escherichia coli ou E. coli pertence à família Enterobacteriaceae, uma grande família de bactérias composta por aproximadamente 46 gêneros e mais de 190 espécies.
  • Foi descrita pela primeira vez em 1885 pelo pediatra alemão Theodor Escherich com o nome de Bacterium coli, recebendo a denominação atual em 1919.
  • A E. coli é a principal espécie de interesse como agente de doenças de veiculação hídrica humana dentro desta família e no grupo dos coliformes.

Doenças em Humanos

  • A E. coli causa uma variedade de infecções em humanos como meningite em crianças, infecções urinárias, infecções de feridas e infecções gastrointestinais.
  • Existem pelo menos seis grupos diferentes de E. coli enteropatogênicas (causadores de doenças gastrointestinais em humanos) que são veiculadas pela água e alimentos.
  • Elas recebem denominações específicas: Escherichia coli enterotoxigênica (ETEC), E. coli enteropatogênica
    (EPEC), E. coli enterohemorrágica (EHEC), E. coli enteroinvasiva
    (EIEC), E. coli enteroagregativa (EAEC) e E. coli difusamente adesiva (DAEC) que apresentam diferentes mecanismos de agressão ao sistema gastrointestinal.
  • Os sorotipos mais relatados em doenças de veiculação hídrica pertencem aos grupos das ETEC, EHEC e EIEC.
  • Os surtos por EHEC são os que geram maior preocupação devido à severidade dos quadros clínicos e potenciais sequelas resultantes da infecção.

Prevenção

  • Higienizar as mãos após contato com fezes, solo e animais.
  • Higienizar alimentos que serão consumidos crus.
  • Evitar o contato de alimentos crus com alimentos já cozidos ou com vasilhames, facas, tábua de carne e outros utensílios onde serão dispostos e servidos os alimentos cozidos.
  • Usar água potável com nível de cloro residual adequado.
  • Proteger os reservatórios de água (caixas d´água) do contato com fezes de animais e humanas.

 

Presença em água para consumo humano

  • A detecção da presença de E. coli em amostras de água ou de alimentos é empregada como indicadora de contaminação fecal das amostras.
  • Sua detecção em água tratada é um indicador de falhas na etapa de desinfecção da água para consumo ou no sistema de distribuição da água.
  • A sua motilidade lhe permite deslocar na água do solo e da água de mananciais superficiais atingindo a água dos mananciais subterrâneos.
  • As células de E. coli resistem à baixas temperaturas da água no ambiente.
  • A E. coli é encontrada em biofilmes no interior de tubulações de água que foram submetidas a tratamento com produtos clorados, na presença de teores residuais recomendados.
  • O estado VBNC (viável mas não cultivável) no qual as células estão viáveis, mas não crescem em meios de cultivo tradicionalmente utilizados em laboratório é induzido em águas com baixa disponibilidade de nutrientes e na presença do cloro, duas características marcantes da água potável aprovada para consumo humano.
  • Alguns sorotipos proliferam até mesmo em água estéril com baixíssimo teor de carbono orgânico.
  • Sobrevive no interior de vários tipos de protozoários presentes na água.

 

COMPARTILHAR