Artigos > Microbiologia e Saúde

21109091. México, D.F-   Trabajadores de la Secretaría de Salud, se aplicaron la vacuna de al Influenza Estacional, al término de la presentación de la Encuesta Nacional de Salud 2012. 
NOTIMEX/FOTO/JAVIER LIRA OTERO/JLO/HTH/

Entenda a importância de se vacinar contra a gripe todos os anos.

A influenza ou gripe é uma infecção viral respiratória febril aguda, altamente contagiosa e que afeta indivíduos de todas as faixas etárias. Ocorre durante todo o ano em nosso país, sendo mais comum no outono e no inverno quando as temperaturas abaixam e as pessoas tendem a ficar por mais tempo em ambientes fechados o que favorece a transmissão viral. Por isso é importante que você entenda a importância de se vacinar contra a gripe.

As epidemias de gripe são relatadas desde 400 a.c. O termo Influenza parece ter surgido na Itália por volta de 1357 quando as epidemias que acometiam a humanidade eram interpretadas como resultantes da “influência” ou conjugação dos astros.

army.mil-2008-09-25-103608

Se você é uma daquelas pessoas que reclama ou que se nega a tomar a vacina contra a gripe todo ano, você precisa aprender um pouco mais sobre a influenza e a vacinação. Os vírus da influenza podem ser do tipo A, B, C e D. Os mais relevantes em termos de saúde pública são os dos tipos A e B, sendo as pandemias comumente causadas pelos vírus da influenza do tipo A.

Os vírus da influenza apresentam grande variabilidade genética e novas variantes virais emergem e circulam em espécies animais. Então, por que se preocupar? Porque existe a possibilidade de que os vírus da influenza que infectam estes animais possam sofrer mutações adquirindo a capacidade de infectar os seres humanos, geralmente um trabalhador da área rural envolvido no manejo de animais utilizados em larga escala pelo homem, como aves e suínos.

A comercialização de animais infectados em mercados e lojas constitui um modo adicional de exposição aos vírus da influenza, seja no momento da compra, manuseio, abate ou preparo dos mesmos para consumo humano. Estes novos vírus se tornam um perigo para as populações urbanas quando adquirem a capacidade de serem transmitidos de pessoa a pessoa causando epidemias ou pandemias, como aquela que presenciamos em 2009 com o vírus da influenza do tipo A(H1N1).

Fonte: https://med.stanford.edu/content/dam/sm-news/images/2013/08/birdflu-poultry-081913.jpg
Fonte: https://med.stanford.edu/content/dam/sm-news/images/2013/08/birdflu-poultry-081913.jpg

É por esta razão que a Organização Mundial da Saúde (OMS) mantem um sistema de vigilância da influenza realizando um constante monitoramento e caracterização dos novos vírus circulantes. É com base nos dados coletados que a OMS e o Ministério da Saúde determinam quais vírus deverão compor a vacina contra a gripe a cada ano e quais serão os grupos prioritários de indivíduos a serem vacinados.

No ano de 2016, o sistema de vigilância nacional detectou a presença de vírus da influenza em cerca de 2.500 das mais de 20.000 amostras analisadas. A região sudeste apresentou uma das maiores quantidades de amostras positivas com predominância dos vírus da influenza A(H1N1)pdm09 e influenza B. O número de casos notificados no estado foi 15 vezes mais elevado que em 2015. Este deve ser um bom motivo para você se vacinar este ano.

A CAMPANHA DE VACINAÇÃO DE 2017

O Ministério da Saúde realizou algumas mudanças este ano na 19ª Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe que tem como slogan “Deixe a gripe para lá”. O objetivo é vacinar 54,2 milhões de pessoas em todo o país pertencentes aos grupos prioritários com maior chance de exposição ao vírus da influenza ou mais susceptíveis ao desenvolvimento de quadros graves. O Ministério da Saúde está adquirindo 60 milhões de doses da vacina para a vacinação gratuita da população alvo.

A campanha deste ano começou mais cedo, no início de abril, porque foi observado um aumento de quadros graves e óbitos pela infecção pelo vírus H1N1 em 2016. Apesar da cobertura vacinal elevada (93,5% da população de risco), mais de 2.000 pessoas morreram no último ano como consequência da infecção provando que com a gripe não se brinca. Segundo o Ministério da Saúde “É preciso que todos estejam devidamente protegidos antes do inverno chegar, já que a vacina precisa de 15 dias para garantir o efeito”

Se você ainda não se vacinou, busque logo se vacinar antes que a vacina acabe nos postos de vacinação.

SERÁ QUE VOCÊ FAZ PARTE DE ALGUM GRUPO PRIORITÁRIO?

A campanha de vacinação deste ano inclui, além de indivíduos com 60 anos ou mais de idade, outros grupos prioritários como: as crianças na faixa etária de 6 meses a menores de 5 anos de idade (4 anos, 11 meses e 29 dias), as gestantes, as puérperas (até 45 dias após o parto), os trabalhadores da saúde, os povos indígenas, os grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, os adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas, a população privada de liberdade e os funcionários do sistema prisional. Uma novidade este ano foi a inclusão dos professores das escolas públicas e privadas como um dos grupos prioritários, uma solicitação antiga dos 2,3 milhões de profissionais da educação que foi agora atendida pelo Ministério.

Os portadores de doenças crônicas não transmissíveis (doenças respiratórias, cardíacas, renais, hepáticas e neurológicas, diabetes, imunosuprimidos, obesos grau III, transplantados e portadores de trissomias) deverão apresentar prescrição médica no ato da vacinação.

A vacinação de gestantes é segura e recomendada em qualquer fase da gestação, pois estas apresentam elevado risco de complicações. Além de proteger a gestante contra a infecção, a vacinação resultará na produção e na transferência de anticorpos protetores para o neonato através da placenta já que este não pode ser vacinado. Tem até um sambinha do Martinho da Vila para lhe animar!

QUAL A COMPOSIÇÃO DA VACINA CONTRA A GRIPE DESTE ANO?

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA determina os três subtipos de vírus da influenza que entrarão na composição da vacina a cada ano. A principal novidade em 2017 é que a vacina contém uma nova cepa do vírus Influenza A/H1N1. A cepa utilizada desde 2009 era a A/California/7/2009(H1N1)pdm09 e foi substituída pela cepa A/Michigan/45/2015(H1N1)pdm09. Dois outros vírus entram na composição da vacina: o vírus influenza A/Hong Kong/4801/2014 (H3N2) e o vírus influenza B/Brisbane/60/2008. Ao se vacinar você estará se protegendo contra os três tipos de vírus da influenza que causaram quadros graves respiratórios no ano passado.

A VACINA CONTRA A GRIPE É SEGURA?

A vacina contra gripe é considerada segura e capaz de reduzir os casos graves, as internações e os óbitos decorrentes da infecção. Segundo o Ministério da Saúde, “a vacinação pode reduzir entre 32% a 45% o número de hospitalizações por pneumonias e de 39% a 75% a mortalidade por complicações da influenza”. Estes são motivos adicionais para você se vacinar contra a gripe.

As reações no local de aplicação da vacina são dor, vermelhidão e inchaço. Estas reações podem ocorrer em qualquer vacina injetável, são de baixa intensidade e passam em um a dois dias. As reações sistêmicas são mais frequentes em crianças jovens que nunca tiveram contato com os vírus da influenza podendo ocorrer febre, mal estar e dor muscular. Muitas pessoas associam estes sintomas à gripe, mas na verdade o que estão sentindo são as consequências de suas próprias respostas imunológicas aos três vírus vacinais. Você não terá gripe se tomar a vacina, pois os vírus foram inativados e fragmentados.

Outra justificativa utilizada para fugir da vacinação é a alergia ao ovo. E o que ovo tem a ver com vírus da influenza e com vacina? Para produzir os vírus vacinais em grandes quantidades utilizam-se as células de ovos embrionados de galinha. Estes são inoculados com os vírus vacinais, incubados e depois abertos para a extração, inativação e fragmentação. O preparado final poderá conter ovalbumina, uma proteína do ovo, em maior ou menor concentração.

FONTE: http://miter.mit.edu/wp-content/uploads/et_temp/vaccine_egg-19252_300x280.jpg
FONTE: http://miter.mit.edu/wp-content/uploads/et_temp/vaccine_egg-19252_300x280.jpg

Se você nunca teve uma reação grave, que colocou sua vida em risco, por ingestão de ovo ou de produtos que contenham ovos em sua preparação, você não deverá apresentar reações graves decorrentes da vacinação. Caso contrário, não tome a vacina sem consultar um médico. Pessoas que relatam uma reação anafilática prévia ao tomarem a vacina contra a gripe não devem ser vacinadas.

A Síndrome de Guillain-Barré ficou muito conhecida no Brasil com a chegada do vírus Zika e é uma das alegações contra a vacinação. Entretanto, esta síndrome é mais comum após uma gripe do que após uma vacinação contra a gripe. Estima-se que 1 em cada 1 milhão de vacinados poderá desenvolver esta síndrome.

QUAIS SÃO OS SINTOMAS DA GRIPE?

Os sintomas clássicos da síndrome gripal surgem de forma abrupta e incluem febre, tosse, dor de garganta, dor de cabeça, dor muscular e nas articulações. Estes sintomas perduram por 3 a 7 dias, exceto a tosse que pode persistir por umas duas semanas ou mais.

A infecção pelo vírus da influenza reduz a imunidade na mucosa respiratória facilitando a infecção por bactérias que causam otites, sinusites e pneumonias. A gripe está associada ao agravamento da asma, da bronquite, da insuficiência cardíaca e da diabetes. Gripe é uma doença muito mais grave que os resfriados comuns que são causados por outros tipos de vírus respiratórios. Busque um posto de vacinação e proteja-se contra a gripe.

Os sinais de agravamento da gripe são: falta de ar, febre por mais de três dias, piora de sintomas gastrointestinais, dor muscular intensa e prostração. Estas pessoas podem evoluir para a Síndrome Respiratória Aguda Grave e por isso, mesmo vacinadas, devem buscar o atendimento médico imediatamente.

COMO O VÍRUS É TRANSMITIDO E COMO POSSO ME PROTEGER?

O vírus da influenza sazonal é transmitido de pessoa a pessoa em gotículas liberadas por um indivíduo infectado ao tossir ou espirrar. A transmissão se inicia um dia antes do aparecimento dos sintomas, sendo mais intensa até o terceiro dia. É necessário o contato próximo com o doente, pois as gotículas presentes no ar são pesadas e se depositam rapidamente em aproximadamente um metro de distância.

As crianças são consideradas as principais transmissoras dos vírus da influenza e seus pais, cuidadores e educadores precisam se protegerem. Evite estar muito próximo de uma pessoa gripada, mesmo que ela seja muito amada por você.

Modificado de: http://qwikcaremd.com/wp-content/uploads/2013/11/flu-prevention-tips-colorado-springs-urgent-care.jpg
Modificado de: http://qwikcaremd.com/wp-content/uploads/2013/11/flu-prevention-tips-colorado-springs-urgent-care.jpg

O uso de uma máscara pode ser útil para cuidar de alguém com gripe em casa ou no hospital e para reduzir a transmissão em tempos de epidemia em ambientes fechados como em ônibus, metros, aviões, escritórios, creches e enfermarias. Enquanto você estiver gripado ou até que a sua vacina contra a gripe faça efeito, evite locais com aglomeração de pessoas.

As gotículas contendo o vírus podem cair sobre a pele das mãos quando as mesmas são utilizadas para bloquear a narina e a boca ao tossir e ao espirrar ou podem se depositar sobre objetos e superfícies permanecendo infecciosas por até 48 horas. Proteja a narina e a boca com um lenço de papel descartável e evite todos esses problemas. Lave as mãos várias vezes ao dia e evite compartilhar objetos de uso pessoal com talheres, pratos e garrafas.

O vírus da influenza é muito sensível ao álcool 70GL e este produto pode ser utilizado sobre a pele ou em objetos e superfícies contaminadas que não sejam passíveis de serem danificadas, como os objetos à base de acrílico. É muito importante lembrar que o álcool é um produto inflamável. Evite manuseá-lo próximo a uma fonte de calor, aparelhos ou tomadas elétricas e guarde-o longe do alcance das crianças.

ESTOU COM GRIPE. O QUE PODE SER FEITO?

O tratamento contra a gripe visa aliviar os sintomas até que o sistema imunológico debele a infecção. O uso de antiviral nas primeiras 48 horas após o início dos sintomas tem benefícios comprovados, mas sua prescrição deve ser reservada para pacientes com riscos de complicações, como as gestantes. Não se esqueça que cabe ao seu médico prescrever medicamentos após uma avaliação clínica e que repouso, hidratação e uma alimentação saudável fazem mais por você do que você pode imaginar.

Se você encontrou alguma nova informação neste artigo, compartilhe-o e nos ajude a divulgar nosso site. Foi um prazer ter contado com sua visita.

Curta nossa fan page no facebook® e fique por dentro de nossas novas publicações. Um forte abraço e até breve!

COMPARTILHAR

 

Autora: Professora Lucia Cangussu

prof

Meu nome é Lucia Regina Cangussu da Silva, mineira quase baiana, bióloga, amante da vida, da família, dos amigos, da natureza e da ciência. Sempre adorei estudar e ensinar. Faço isso desde que me entendo por gente! Faço parte do grande grupo dos “nerds”! Já na graduação na UFMG me apaixonei pelo mundo microbiano logo na primeira aula com as Professoras Betinha e Patrícia. Foi realmente um amor à primeira vista e fico sempre me perguntando o motivo, já que os microrganismos nem sempre são tão bons, bonitos e gostosos como se esperaria! Talvez seja porque, como a maioria dos microrganismos, posso quase ser medida em micrômetros. Este mundo invisível sempre me fascinou e não canso de estudá-lo. Tornei-me o que o meu caro professor Humberto Carvalho condenava... estudante profissional! Lamento, Mestre!